23/03/2011

MATERIAL DIDÁTICO - HISTÓRIA DA IGREJA

Material sobre a HISTÓRIA DA IGREJA - IASIS SHÃRAT 2011

CLIQUE AQUI para fazer o download do arquivo Word

CLIQUE AQUI para fazer o download do arquivo PDF

CLIQUE AQUI para fazer o download do arquivo compactado em RAR
(Programa para descompactar o arquivo - CLIQUE AQUI)


Qualquer dúvida, entre em contato:

Pr. Edson Lapa - edsonlapa@mevam.org.br

25/07/2010

Marcha para Jesus 2010



Manha de sábado, 24/07, o dia começou cedo para quem estava ansioso para mais uma edição da Marcha para Jesus, foram duas semanas de dedicação. Os pastores do COPEVI – Conselho de Pastores Evangélicos de Itajaí haviam feito o que era “humanamente possível”, agora esperávamos o sobrenatural do Senhor, o milagre, pois a metereologia apontava para um dia chuvoso e instável, o que ofuscaria o brilho desejado para a marcha. Para nossa alegria o Senhor proporcionou um dia nublado, estável e muito agradável. A concentração teve inicio às 8h, mas mesmo antes deste horário já havia simpatizantes no passo municipal aguardando. Tivemos o apoio e a presença de muitas autoridades de nosso município – Prefeito Jandir Bellini, Ver. Laudelino Lamim, Ver. Suzi Bellini, Ver. Marcelo Werner, Ver. Maurílio Moraes (autor da lei que institui a Marcha para Jesus em nosso município), Jaison Blasius (CRAC Fazenda /Praia Brava), Artur de Jesus (CRAC Itaipava), Jose Alverino (Zé do CODETRAN) – Estes vestiram a camisa da Marcha para Jesus!. Durante todo o trajeto contamos com o apoio dos Agentes de Transito do CODETRAN e também da Policia Militar, para nossa alegria não houve nenhum incidente. A proposta da marcha além de um ato de expressão pública de fé, amor, agradecimento e exaltação do nome de Jesus Cristo, teve também a de abençoar nossa cidade, nossa gente, nossas famílias, nossa economia, nosso comercio então algumas paradas para orações especificas foram realizadas – Prefeitura Municipal, Administração do Porto de Itajaí, Hospital Infantil pequeno Anjo e Câmara de Vereadores. Durante a caminhada pode-se observar os transeuntes, simpatizantes que paravam para receber as literaturas distribuídas, ou simplesmente para observar o movimento, havia também àqueles que das janelas, sacadas e terraços acenavam. O ápice do evento aconteceu na Praça Vidal Ramos, onde o pastor Judson de Oliveira coordenou os louvores e liberou palavras proféticas sobre a cidade, sobre aqueles que ali estavam e sobre toda a liderança que respondeu com orações de arrependimento e pedido de perdão ao Senhor pela inércia, indiferença e egoísmo que a igreja tem mostrado neste tempo.

23/06/2010

Eu ou Nós – Como caminhar em perfeita Unidade.



Quando olho para a igreja de Atos dos Apóstolos entendo que é a mesma igreja de hoje. Mas o que existia nela a ponto da Unidade ser sua marca mais atenuante. Deus não teve uma igreja em cada tempo, as pessoas mudaram, mas o projeto divino de unidade ainda continua, Deus só tem uma noiva e é com ela que ele pretende se casar. Se observarmos os textos de Atos 2:42-47 e 4:32-35 encontraremos relatos importantes sobre unidade e valiosos para nosso aprendizado, desafio você a abrir sua bíblia e ler cada passagem atentamente. É claro que estas histórias precisam ser repetidas e vividas se quisermos receber as bênçãos de Deus como corpo de Cristo. Eles eram unanimes no partir do pão, na perseverança, na alegria e na simplicidade. Os milagres aconteciam, as necessidades eram supridas, pois havia atenção aos necessitados: órfãos e viúvas eram assistidos, amigos comiam juntos o que demonstra comunhão a partir do genuíno relacionamento, e com isso atraiam pessoas a Jesus pois o evangelho era proclamado através de corações atados pelo vínculo do amor. Ninguém era dono de suas próprias coisas, eles compartilhavam tudo comumente, o povo supria os apóstolos compreendendo que o evangelho precisava ser pregado e todos investiam na expansão do Reino de Deus. Era uma mesma visão, ensinada por Jesus Cristo e que deve ser aprendida por nós. As palavras de Jesus em João 17:20-23 fazem referência a Unidade. O anseio do seu coração é que todos fossem um assim como Ele o Pai são um. Mas tão importante quanto o que Jesus disse, foi quem escreveu o que Jesus falou. Embora outros escritores do evangelho citem Jesus falando acerca da unidade perfeita, João registra com sensibilidade a palavra de Jesus sobre este tema porque era íntimo do mestre e sabia o quanto este conceito significava no Reino de Deus. Ninguém como ele, João, teve uma revelação tão concreta acerca da unção Messiânica que estava sobre Jesus, mas ele reconheceu esta divina virtude por caminhar lado a lado com Cristo. Ele conhecia o coração do Senhor e o por sua vez Jesus conhecia seu interior, havia transparência nesta parceria que começou com o próprio Cristo o convidando para ir a sua casa (Jo 1:38-39) esse fato comprova que os três anos de convivência e discipulado foram pautados em relacionamento quase que diário. João no início do ministério era um dos Boanerges chamado por Jesus de Filhos do Trovão por seu perfil impetuoso e tempestivo, mas gradativamente, com a convivência ele vai assimilando o padrão manso e humilde do coração do mestre mudando esse inadequado comportamento para traços de amor e descanso. Não é a toa que em suas amorosas e doces cartas ele chama seus destinatários de filhinhos amados, os registros do Apóstolo João destilam amor como um favo de mel sendo espremido pelas mãos do Pai. João sabia o que era unidade, esteve ao lado de Jesus presenciando os primeiros milagres, mas também acompanhou a transfiguração no monte das Oliveiras, os momentos mais difíceis onde Jesus era perseguido e humilhado estando com ele até ao pé da cruz compartilhando das agonizantes dores da crucificação. Isso é Unidade, mesmo que as situações sejam difíceis o importante é estar junto, custe o que custar, doa o que doer, não compartilhar só momentos bons, mas estar disponível para ouvir os corações quando nada vai bem. Jesus nesta palavra não ora apenas por seus seguidores, mas ora por todos aqueles que crêem nesta palavra e arvoram a bandeira da comunhão. Ele estava intercedendo ao Pai para que todos fossem um. Esta é a grande revelação do corpo de Cristo, onde caem as barreiras das placas os muros das raças, os sistemas da religião, as paredes das cores, os grilhões do orgulho. Unidade não uma única denominação, não uma idolatrada visão, não uma instituição contratual, não um chamado pessoal, mas uma soma de ministérios, ou seja, serviços que se congregam todos em um mesmo nível. Mas para chegar a este patamar de entendimento precisamos renunciar nossa maneira pessoal de enxergar um império, geralmente baseado em nossa forma de pensar e passar a entender a proposta de cada ministério no contexto do Reino de Deus. Caminhar em unidade é saber que o que os meus irmãos fazem é tão importante quanto aquilo que eu faço. Como é difícil para as pessoas conciliarem suas crenças sendo unanimes no que é essencial e flexíveis naquilo que é de segunda ordem. Cada ministério tem uma visão específica, um governo diferenciado e uma identidade peculiar, entretanto pertencem ao mesmo corpo. Algumas vezes, queremos impor nossa forma de pensar e atraímos para perto de nós pessoas que tenham o mesmo padrão de vida, mesmas afinidades de pensamentos, perfis iguais aos nossos, sendo que a proposta do Reino dos céus é exatamente o contrário, você não precisa ser igual a mim e pensar como eu penso para estar ao meu lado. Se houver unidade nossa proposta será adorar a Deus e edificar a sua vontade sobre a terra juntos. Esta é a multiforme graça de Deus revelada nas diferenças, lembre-se de que Jesus conquistou para sí homens de todas as tribos, línguas, povos e nações, isso demonstra o amor plural de Deus convergindo às diferenças em seu coração transcultural. Deus respeita as diferenças o que ele abomina são as divergências que dão base para a individualidade. O que precisamos entender é que o segredo de comunicarmos Jesus está em sermos perfeitos em unidade, a própria bíblia expressa essa verdade, e isto não é opcional, é um mandamento, essa é a receita para o bolo crescer. No Reino espiritual não existe lugar vago, tudo é preenchido, quando não selamos nosso coração com a unidade estamos liberando um vácuo para a infiltração de satanás, a saída é estarmos unidos para que não sobrem rachaduras para a ação do adversário de Deus. Cada um de nós tem a responsabilidade de promover a unidade do corpo de Cristo em qualquer lugar, não somente em nossa igreja durante os louvores congregacionais. Não se trata de um aperto de mão, olhos nos olhos emocionados ou abraços calorosos num cumprimento entre os santos (apesar deste momento ser importante na igreja), mas se trata de ter um mesmo coração, com os mesmos objetivos, buscando a mesma essência, porque se não houver isso tudo mais passa a ser superficial e sem valor. Quanto mais for gerada a unidade, mas ficaremos fortes! E essa força não foi nos dada para nos destacarmos diante dos homens buscando a glória que alimenta nossa concupiscência de reconhecimento e aprovação. Na unidade não pode haver interesse pessoal, nem quem viva dos aplausos e do prestígio popular. Ela é forte contra o inferno, contra as investidas do diabo em nossa cidade, estado e nação. Por isso é tão importante nos unirmos e servirmos uns aos outros. Unidade requer maturidade e alguém que amadureceu escolheu sempre amar e perdoar onde o que vale é nunca se ofender, o fruto maduro será o primeiro a cair do pé, quando está pronto para ser colhido enverga os galhos da árvore por vezes quase tocando o chão e isso fala de humilhação, a maturidade te leva a renunciar a razão, a posição e entender que para o bem da unidade deve haver abdicação de nossos sonhos e projetos ambiciosos, mas poucos estão dispostos a abrir mão disso. Um líder que investe em comunhão abre mão de sua posição e entende que a unidade sempre será a prioridade. O texto de Josué 4:20-24 retrata bem esta situação, eles estavam passando o Jordão, o limite entre uma vida escrava no Egito em uma das margens para uma nova vida que estava sendo preparada do outro lado do Rio em Canaã a Terra Prometida. Mas inevitavelmente eles teriam que passar por Gilgal, um lugar onde eles teriam que construir um altar a Deus e reestabelecer uma aliança que foi perdida. Ali, 12 príncipes das diferentes tribos de Israel pegaram 12 diferentes pedras e juntos construíram um altar memorial ao Senhor provando que o que os unia era mais importante do que suas diferenças geracionais. O interessante é que não deveriam ser pedras aleatórias, Deus instituiu que seriam pedras grandes e tiradas do meio do Jordão. Sabemos que a palavra Jordão vem do Hebraico e quer dizer: Aquele que desce! Este é o único rio no mundo que corre para cima, ele deságua no mar morto e está a 390 metros abaixo do nível do mar, tem aproximadamente 30 km de largura e no centro do leito deve ter uma profundidade de quase 3 metros. Mas Deus operou a mesma maravilha do Mar Vermelho diante dos olhos de Josué e do povo de Israel. O Rio Jordão simboliza nosso orgulho! Deus precisa rasgá-lo ao meio para que possamos acessar uma nova vida, imagine agora arrancar do meio do orgulho as grandes pedras da soberba, dos títulos, dos cargos, das posições, enfim de tudo o que nos impede de caminharmos unidos e construir com elas um ponto memorial a Deus entregando ao Senhor a nossa razão. Deus estava dizendo arranquem de seus corações pedras pesadas que os impedem de caminharem juntos e construam com elas um lugar de sacrifício ao Meu Nome. Realmente não era uma tarefa fácil, mas que também não pára por aí, após o altar Deus ordena que todos os homens sejam circuncidados com laminas feitas de pedra, imagine só a dor que estes homens não sentiram, estavam já cansados da viagem, alguns já adultos, sem qualquer tipo de anestesia ou cuidado sanitário, o ato foi mais traumático do que propriamente cirúrgico, mas era uma ferida que marcava um novo tempo de uma aliança de sangue para com Deus e uns com os outros. Naquele momento Deus estava devolvendo as promessas liberadas a Abraão sobre o povo que tinha se esquecido do pacto. Em alguns casos, as alianças que fizemos nos custam algo, doem em nós já que o passo de renúncia de nosso próprio eu é algo que nos machuca realmente, mas que as gerações futuras vão ser alcançadas por tal atitude. Um exército tem várias frentes na batalha, mas independente do posto que se ocupe a guerra é de todos, todos ganham ou todos perdem, por isso precisamos continuar marchando sobre as obras do inimigo, isso é andar em unidade, é entender que melhor sejam dois do que um, e não caminhar sozinho, jamais abandonando o chamado do corpo de Cristo que é andar perfeitamente ajustados. Nosso estandarte deve ser Jesus que morreu e venceu para que fossemos um só povo de um único Deus. Precisamos sacrificar o Eu para que Nós todos possamos crescer!


Texto: Pr.Jackson de Aquino.



27/01/2010

Pensamento.

"Não é tolo aquele que dá o que não pode reter, a fim de ganhar aquilo que nunca poderá perder." Jim Elliot

15/01/2010

A quem você presta contas?

[Prestar contas a alguém significa abrir a sua vida para alguns amigos cuidadosamente escolhidos e de confiança, que lhe dirão a verdade. Eles conquistaram o direito de examinar, de questionar e de aconselhá-lo. Salomão disse: "As feridas feitas por um amigo são melhores do que muitos beijos de um inimigo" (Pv 27:6 NLT). Pense nisso!]

"O que se requer destes encarregados é que sejam fiéis." 1 Coríntios 4:2 NVI


As pessoas que aceitam prestar contas geralmente possuem quatro qualidades. Verifique e veja se você as possui:


(1) São vulneráveis – são capazes de saber quando estão erradas e de admiti-lo, mesmo antes de serem confrontadas.


(2) São ensináveis – estão dispostas a ouvir, são rápidas em aprender, e estão abertas para receber conselhos.


(3) Estão disponíveis – elas são acessíveis; você sempre pode encontrá-las.


(4) São sinceras – elas odeiam tudo que é falso; são comprometidas com a verdade independente do quanto ela possa ferir alguém.


Você diz: "Este padrão é muito alto". Você está certo. É um padrão com o qual o orgulho não consegue lidar e que os egos frágeis não tolerarão. Esses preferem parecer bons em lugar de serem bons!


Não me entenda mal – não estou sugerindo que qualquer pessoa tenha acesso à sua vida. Não, isto é perigoso. Eu disse alguns amigos escolhidos, confiáveis, discipuladores, mentores espirituais, pessoas que conquistaram o direito de andarem ao seu lado, e de fazerem, no momento oportuno, as perguntas certas. Elas darão a você uma nova perspectiva e com sabedoria, ajudarão a manter você nos trilhos. Paulo confrontou Pedro. Samuel confrontou Davi. Quem confronta você?



Fonte: Boletim O Atalaia - CRP12

20/08/2009

Para onde estamos olhando?

“Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Matheus 06:33


Quantos de nós já não se encontrou em um verdadeiro estado de letargia, de profunda sonolência, insensíveis, apáticos e inertes as coisas espirituais? O que não compreendemos é como chegamos até este ponto, procuramos álibis, justificativas, culpados, enfim procuramos nos enganar, perdendo muito tempo ficamos ali horas, dias, semanas e até anos. Isso é muito comum e não raro no meio do povo de Deus, agora o que precisamos fazer para que isso não ocorra conosco? O que precisamos para não entrar nesse estado? Acredito que a resposta esta contida na seguinte pergunta: Para onde você esta olhando? Ao refletir nessa pergunta encontraremos a resposta que buscamos.

Quando conhecemos o Senhor Jesus, algo de extraordinário aconteceu conosco, algo nunca antes vivido por nós, a novidade de vida que o Senhor nos propõe, seu amor, sua compreensão, seu caráter, nos leva a fixar os olhos em sua pessoa, em suas promessas, nas coisas de seu reino, porem continuamos vivendo secularmente, tendo nossas atribuições diárias, nosso trabalho, nossas responsabilidades, continuamos expostos ao mundo igualmente como era antes de conhece-lo; com o passar dos dias o brilho já não é tão intenso e as velhas coisas, coisas da velha natureza, ainda presentes ofuscam sua presença. A verdade é que já perdemos o “foco” e já estamos olhando para o que não deveríamos,... uns para a carreira profissional, outros para estabilidade financeira ou para bens materiais, isso acaba tornando-se um ciclo vicioso, um looping constante, se repetindo, se repetindo, se repetindo... muitos passam a vida inteira nessa situação e quando percebem não há mais o que fazer... partiram...

Devemos ter em mente que todos os dias, em cristo Jesus há novidade de vida, mas isso só ocorre quando realmente rompemos com o mundo e dele não mais “tiramos proveito”, falo da posição em seu coração, pois sabemos que vivemos em um mundo e não podemos nos isolar, viver em uma espécie de sociedade alternativa, ignorando o resto, se assim fosse não cumpriríamos o desejo do Mestre. Quando você toma essa posição em seu coração e rompe com os padrões do mundo, todos os dias haverá novidade de vida, você não precisa mais retroceder, nem mesmo lembrará como era “...portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas.





Em Cristo Jesus!
seu servo.